17 de maio de 2018

filme: o rastro


Sinopse: João é um médico escolhido para coordenar a remoção de pacientes de um antigo hospital prestes a ser desativado. Na noite da transferência, uma menina de dez anos desaparece sem deixar vestígios. Quanto mais João se aproxima da verdade, mais ele mergulha em um universo obscuro, que nunca deveria ser revelado. (via Adoro Cinema)

O Rastro é um filme brasileiro de terror, lançado em 2017 pela Imagem Filmes. Sob a direção de J.C. Feyer, o filme conta com caras bem conhecidas do público como Rafael Cardoso, Leandra Leal, Claúdia Abreu, Felipe Camargo e Domingos Montagner, num dos últimos trabalhos antes do seu falecimento.

O filme conta a história de João, um médico jovem e brilhante que recebe uma tarefa um tanto quanto ingrata: supervisionar a transferência dos pacientes de um antigo hospital que será fechado por falta de verbas. Quando uma menina de dez anos desaparece, João inicia uma investigação por conta própria e entra numa teia de corrupção e assassinato.


O Rastro tem tudo que um bom filme de terror precisa: uma boa fotografia, uma história com potencial, um cenário assustador. O filme se passe em sua maioria no hospital que está prestes a ser fechado. É um prédio velho, bem creepy e bem a cara daqueles hospícios de contos de terror. 

Apesar da história ter um bom pom potencial, ela peca no desenvolvimento. O primeiro plot (o da assombração da menina) não é bem elaborado e nem tampouco explicado. As cenas de terror é no clássico estilo barulhão antes de assombração aparecer na sua cara. 

A partir do momento em que João se aprofunda mais no que aconteceu com a menina, no porque ela desapareceu e descobre as reais ameaças, o filme tinha tudo pra explorar a realidade brasileira: a burocracia, a saúde precária e o encobrimento das pessoas de alto escalão. E isso pouco acontece.


No geral, achei O Rastro um filme mediano. Ficou no quase, sabe? Eu, como uma apaixonada por filmes de terror, já vi filmes bem piores e bem melhores. Vale para conhecer um pouco mais do cinema nacional e ver que nós temos potencial sim pra sair da comédia zona de conforto e investir em gêneros diferentes!

E você, já assistiu?


13 de maio de 2018

música: cage the elephant

Vocês me perdoa por sempre indicar por aqui bandas indie e alternativo? Prometo tentar expandir meus gostos musicais e vir nesse blog com estilos diferentes, mas por hoje, vai essa banda amor mesmo ♥


Cage the Elephant é uma banda de rock norte-americana, de Bowling Green, Kentucky, iniciada em 2006. Formada por Matt Shultz (vocal), Brad Shultz (guitarra), Daniel Tichenor (baixista), Jared Champion (bateria).

Criada originalmente sob o nome Perfect Confusion, o Cage the Elephant teve destaque em sua apresentação no festival South by Southwest em 2007, recebendo proposta para assinar contrato com a gravadora EMI. Após a mudança dos integrantes para a Inglaterra, o grupo lançou seu primeiro álbum, homônimo, em 23 de junho de 2008. A banda foi ganhando destaque através das músicas que ganharam posição nas paradas da Inglaterra e Estados Unidos. Ain´t No Rest For The Wicked chegou ao 32º lugar na UK Singles Chart e Back Against The Wall entre os vinte da Billboard.

Em 11 de janeiro de 2011 foi lançado Thank You, Happy Birthday, trazendo um outro lado da banda e o single Shake Me Down, que já fazia um certo sucesso na internet e tinha posição na Billboard no fim de 2010 que, até então, só lançada no youtube. O novo álbum teve boas críticas, quando lançado, atingiu 1º lugar de CDs mais baixados do iTunes e vendeu em torno de 39.000 cópias durante a primeira semana, colocando-o em segunda posição da Billboard 200.

Ganhou fama no Brasil após show no Lollapalooza, em abril de 2012. Em 2014 e 2017 fizeram outros shows no mesmo festival.

A banda se reuniu no estúdio para gravar seu terceiro álbum de estúdio Melophobia no primeiro semestre de 2013. Eles lançaram um teaser do primeiro single Come A Little Closer no seu canal do YouTube no dia 1 de agosto. O álbum foi lançado em 8 de outubro de 2013.


No dia 7 de outubro de 2015, a banda anunciou em seu twitter oficial que o novo album de estúdio, intitulado Tell Me I'm Pretty chegaria no dia 18 de dezembro do mesmo ano. Em 30 de outubro de 2015, o single Mess Around foi lançado, atingindo segundo lugar na Billboard no dia. Em 19 de novembro de 2015, o single Trouble foi lançado.


Para conhecer:




Já conheciam a banda? :)


8 de maio de 2018

7 on 7 maio

Minhas fotos favoritas do mês! ♥ Cês já me seguem no insta? @suuh_e








Esse mês foi bem corrido pra mim, então meio que deixei o instagram de lado e postei pouquíssimo (tanto linha do tempo quanto stories), mas a vida tá acalmando aos poucos e voltando aos trilhos :)

Como foi o mês de vocês?


3 de maio de 2018

mulheres e poesias


Despedida
É madrugada
Reviro de um lado pro outro
Eu sei bem o que me tira o sono.

Ouço vozes,
Num programa de TV
Gal e Caetano cantam
“Recanto Escuro”.

As evidências denunciam
Esse grampo colorido na penteadeira
Não parece em nada com os meus.

O leite estragado na geladeira
Previa o gosto da despedida.

A inevitável conversa acontece
Com justificativas vãs que toda mulher
Já deve ter ouvido centenas de vezes:
“Eu não queria que fosse desse jeito”
“Desculpa, se eu te magoei”
“Não fica assim, vai ficar tudo bem”
“Uma hora vai passar”.

Eu odeio frases feitas.
Disfarço aquela inevitável vontade de chorar
Por raiva, desprazer e ironia.

Até parece que o amor não deu.

Engraçado, você é cheio de manias.
Parece que é só no fim
Que nos damos conta de algumas coisas.
Senta sempre do mesmo lado do sofá
Só usa camisetas de cor clara e
Nunca esquece de apagar as luzes.

Eu vou sentir saudades
Das conversas filosóficas
Das discussões ideológicas
Das músicas bregas que você ouvia
E até do que eu mais reclamava
De levantar e fazer o café pra você.

Eu já tinha até escolhido
O seu presente de Natal.
Um livro do Galeano
E uma camiseta de Ogum pintada à mão
Que encomendei num ateliê em Olinda.

Eu vou e deixo pra trás
As incertezas das minhas poesias
Que sempre quiseram te devorar.

O começo se parece com o fim.

Quando nos olhamos e
Não nos reconhecemos.
Da porta pra dentro
Da porta pra fora.

Jenyffer Nascimento - Terra Fértil

Facebook Pessoal  - Instagram - Página Facebook

30 de abril de 2018

playlist: back to the classics

Faz umas semanas já que eu não tenho conseguido dormir direito. Não importa o quão cedo eu acorde, chega a noite e eu não consigo dormir cedo, fico me revirando na cama até altas horas. E até que o sono apareça, minha rotina é ficar assistindo Vh1. E foi o programa Nothing But Classics que inspirou esse post. É um programa que passa nas madrugadas, que toca só classicão dos anos 70, 80 e 90.
Gente, que nostalgia assistir esse programa. Saudades rocks anos 90, saudades das boy bands dos anos 90, saudade dos pops. SAUDADES, SÓ SAUDADES. 
Fica aqui minhas favoritas, que, volta e meia sempre acabam voltando à nossa memória e às nossas playlists.

Everybody - Backstreet Boys
Gente GENTE GENTE eu sou APAIXONADA nesse clipe e nessa música. Cada vez que toca, a franga sai desse corpo, JURO hahaha. 

Bye Bye Bye - *NSync
Justin Timberlake e seu cabelinho de miojo. INESQUECÍVEL.

Torn - Natalie Imbruglia

Total Eclipse of the Heart - Bonnie Tyler
Essa música volta e meia continua aparecendo em trilhas de séries (Grey's Anatomy que o diga, né mores) e filmes, em novas versões, mas a antiga e original ainda continua a mais linda.

Stop Crying Your Heart Out - Oasis
Nem tão velha assim, mas nessa lista por motivos de: 1- OASIS MELHOR BANDA DO MUNDO quem discordar é clubista e 2- EFEITO BORBOLETA FEELINGS meu filme preferido lindo e maravilhoso.

Livin' On a Prayer - Bon Jovi

Qual mais vocês incluiriam nessa playlist nostálgica? Deixem nos comentários!


27 de abril de 2018

eu testei: salgadinho de grão de bico


Provavelmente nunca comentei por aqui, mas o fato é que: eu ODEIO cozinhar. Não é segredo e todo mundo que me conhece sabe que eu tenho pavor. Ultimamente tô me arriscando a fazer algumas coisas, mas ainda assim não é uma coisa que eu goste de fazer. E eu também tinha um certo preconceito quando eu via alguma receita "simples" que começava com deixar as coisas de molho por 12 horas (vcs realmente acham que 12 horas de molho é uma receita simples? isso é uma vida). Essa semana vi um vídeo da Isa Ribeiro em que ela fazia iogurte, que também requer horas de descanso e tal (sim, eu assisto todos os vídeos dela inclusive receitas pq ela é um anjo no mundo e eu amo) e ela fez um comentário que ficou na minha cabeça: sobre não entender porque as pessoas não curtiam receitas que tinham que descansar os alimentos, já que você NÃO PRECISA DESCANSAR COM ELE, você pode fazer as suas coisas.
E eu pensei: UÉ NÃO É QUE É VERDADE?

E fazia séculos que eu tinha comprado o maldito grão de bico e não tinha coragem de fazer por causa das malditas doze hora, e finalmente eu perdi o preconceito, testei e vim aqui contar pra vocês que: deu certo sim, e ficou maravilhoso! Esse snack é ótimo pras loucas por salgadinhos que nem euzinha aqui, porque eles ficam MUITO saborosos e são saudáveis.
Agora chega de enrolar e vamos mostrar o passo a passo néam.



Você vai precisar de: grão de bico, panela e temperos. Sim, é só isso.
Primeiramente você TEM que deixar o grão de bico de molho por 10-12 horas (não sei bem o porque, acho é pra ~hidratar~ eles antes de cozinhar). Depois, cozinhe com os temperos de sua preferência. Eu usei: sal, caldo de galinha e orégano. Como não tenho panela de pressão, fiz numa normal e ele demorou mais ou menos 1h20 pra cozinhar, em fogo baixo. (não precisam ficar desesperadas e pensar NOSSA 1H20 porque: ele é super tranquilo de cozinhar, nesse tempão de cozimento eu dei uma mexidinha nele no máximo umas três vezes e ele sobreviveu e cozinhou DE BOAS)


Depois de cozidos, tire toda a água e deixe esfriar completamente. Quanto os grãos já estiverem frios, é hora de transforma-los em salgadinhos!
Para temperar eu usei azeite extra virgem, orégano, páprica, pimenta branca e sal. Junte tudo isso e misture bem pra todos os grãos pegarem bem o gostinho dos temperos.


Em uma forma untada com papel manteiga espalhe BEM ESPALHADINHO, pra torrar da forma mais homogênea possível. Coloque em um forno pré aquecido por 40 min. Na maioria das receitas que vi pela internet a fora, dizia pra tirar e mexer os grãos depois de 20 min de cozimento, MASSS como eu tava meio paranóica porque era minha primeira vez, eu tirei e mexi de dez em dez minutos.
E tá pronto!


Realmente é uma receita bem simples, e ficou super gostoso! O meu não ficou tão crocante como deveria (provavelmente eu não escorri bem a água do cozimento) mas ficou bom igual! E se eu, que sou uma negação na cozinha, consegui, MIGAS VCS TAMBÉM CONSEGUEM!

Alguém aí já testou essa receitinha?



24 de abril de 2018

a mágica da arrumação - marie kondo


Sinopse: A mágica da arrumação se tornou um fenômeno mundial por apresentar uma abordagem inovadora para acabar de vez com a bagunça. Aos 30 anos, a japonesa Marie Kondo virou celebridade internacional, uma espécie de guru quando o assunto é organização. Seu método é simples, porém transformador. Em vez de basear-se em critérios vagos, como “jogue fora tudo o que você não usa há um ano”, ele é fundamentado no sentimento da pessoa por cada objeto que possui.O ponto principal da técnica é o descarte. Para decidir o que manter e o que jogar fora, você deve segurar os itens um a um e perguntar a si mesmo: “Isso me traz alegria?” Você só deve continuar com algo se a resposta for “sim”.

A Mágica da Arrumação é um livro escrito pela japonesa Marie Kondo, e que promete um método que organiza tudo de uma vez só e você nunca mais fica na desorganização. O método é o mais simples possível: destralhar. JOGUE FORA! Você não ama o objeto? Se desfaça.

O diferencial desse método, é que a dona Marie insiste pra que você faça esse destralhamento UMA VEZ SÓ. De tudo e de todas as coisas. Por exemplo, você vai destralhar as roupas, então você pega TODAS as roupas que tenha na sua casa e joga num monte só e a partir daí você separa o que fica e o que vai. Mas tem que ser tudo mesmo! Se você esqueceu algo nessa pilha, automaticamente é jogado fora.


Eu gostei do livro e achei interessante esse método? Sim.
Apliquei ele na minha casa? Não mesmo.

Depois que você tem a sua própria casa, o seu próprio lugar, onde é você que manda, você aprende a primeira regra básica de manutenção de casa, organização e decoração: Você tem que fazer o que funciona pra você. Qualquer método que te atrapalhe ao invés de ajudar, não serve pra você.

Pra mim é inviável fazer todo esse descarte de uma vez só, mas tem vários pontos e dicas do livro em que eu adaptei à minha rotina e vem funcionando super bem.


Eu indico MUITO o livro, acho o método dela interessantíssimo. Muita dica incrível pra quem quer viver com menos e melhor, e tenho certeza que pra certas pessoas esse descartão geral vai cair como uma luva.

E vocês já leram? Já colocaram em prática?


20 de abril de 2018

stories #1

Olá gente, tudo bem cocêis? Perguntei a alguns posts atrás se vocês gostariam de ver por aqui um resumão do que rolou nos meus stories e recebi vários comentários positivos, então né AQUI ESTOU.
Já vou avisando que meu stories se resume em: comidas, cafés, dogs, comidas, paisagens, dogs, comidas, algumas fotos aleatórias e mais dogs e mais comidas. Se vcs estiverem com fome enquanto estão lendo este post CORRE QUE AINDA DÁ TEMPO DE FUGIR VIU? hahaha
Pra quem quiser ver todos, é só me seguir na rede social mais bonita do planeta: @suuh_e


Teve friozin de outono. Teve sushi (quem me segue por lá ou me conhece pessoalmente sabe que eu SOU FISSURADA/comeria todo o dia/é maravilhoso/AMO DEMAIS/porque tão caro).  Teve também a gente voltando a infância e fazendo o álbum de figurinhas da Copa (ah vai gente, é só de quatro em quatro anos, tá permitido gastar dinheiro com essa tranqueira).


ESTÁ OFICIALMENTE ABERTA A TEMPORADA DE PINHÃO FEAT VINHO. Gente eu desconheço combinação melhor que essa. E tem MUITA foto da vista da minha janela porque eu amo sim.


Também sou saudável de vez em quando e fico com uma torradinha e café ALWAYS AND ALWAYS. 
E A LIGA DOS CAMPEÕES GENTE? Muito feliz com meu amor Liverpool de volta as semis depois de tanto tempo ♥ Tem mais blogueira por aí que é aloka do futebol como eu?


Apenas que: look fitness e um hamburguerzão desses na mesma combinação? Eu estou louca sim.


OLA AÍ A MATURIDADE com o copo do Harry Potter (nem parece que tem quase trinta anos na cara). Doguinho querendo atenção (quem resiste?). E solzin entrando pela janela <3.


Mais foto da janela porque sim. Minha estante maravilhosa e a prantinha nova. ♥
AGORA DEIXA EU CONTAR O CASO DA PRANTINHA. Como que em 2018 ainda tem comércio que não usa máquina de cartão de crédito?? Fui bem feliz comprar a prantinha (sem um puto real no bolso) e tive que deixar anotado no fiadão porque a senhorinha da floricultura não trabalhava com cartão. IM BACK TO 90s.

Vocês desculpa o postzão e os comentários sem noção, mas é pra ser um resumão mesmo (rimou e eu nem me esforcei pra isso) e percebi que revendo os stories consigo me lembrar do mês bem melhor do que no 7 on 7, então os futuros resumões do mês vão ser nesse port mesmo.

Espero que vocês curtam o post e consigam dar boas risadas ;)



17 de abril de 2018

serie: bones


Sinopse: A antropóloga forense Dra. Temperance Brennan (Emily Deschanel) trabalha no "Jeffersonian Institute", em Washington. Junto ao FBI, ela acompanha investigações de casos de assassinatos envolvendo restos mortais das vítimas, especialmente seus ossos. O Agente Especial Seeley Both (David Boreanaz), arrogante porém charmoso, é quem trabalha com ela dentro da Agência de Investigação. A série explora, assim, além dos casos de assassinatos, as origens das relações entre os personagens e uma amizade - e possível romance - entre Booth e Brennan.

Bones é uma série de televisão americana pela FOX, exibida entre 2005 e 2017. A série conta a história da Dra. Temperance "Bones" Brennan, uma antropóloga forense e escritora de best sellers que, apesar de ter um QI acima da média, não tem muito ~jeito~ para lidar com as pessoas. Ela auxilia o FBI a resolver os casos onde os corpos não podem ser identificados pelos meios "normais": ou estão em avançado estágio de decomposição, ou até mesmo somente ossos. Depois de ajudar em alguns casos aleatórios, Bones vira parceira do agente Seeley Booth, um prepotente ex-soldado e com um excelente instinto policial. 


Além dos dois personagens principais, a série nos apresenta os coadjuvantes que trabalham no laboratório: Angela Montenegro (artista forense), Zach Addy (antropólogo forense AND ALWAYS MY FAVORITE ♥), Jack Hodgins (entomologista), Cam Saroyan (chefe da divisão da polícia dentro do Jeffersonian) e Lance Sweets (psicólogo). Além dos casos, a história aborda muito a relação entre os personagens, cada qual na sua singularidade. 

Bones foi uma das primeiras séries que eu maratonei na vida, e aquela que me fez me apaixonar por séries policiais. O meu amor por ela é tanto que já estou revendo pela segunda vez. É um drama procedural (um caso diferente a cada episódio), com poucas temporadas tendo um ~vilão central~. Eu AMO séries assim (assisto praticamente todas nesse estilo) e acho que deixa a história mais dinâmica e menos enrolada.
A série é baseada na vida e nas obras da antropóloga forense Kathy Reichs, que inclusive tem uma série de livros com o mesmo nome (que infelizmente eu ainda não tive a sorte de ler porque é incrivelmente difícil achar aqui no Brasil).


Bones teve 12 temporadas com um total de 246 episódios, Apesar de ser longa, é MUITO viciante e ideal pra quem gosta de uma boa série criminal.

Pra quem quer mais dicas de séries, confira todos os posts da tag aqui.


14 de abril de 2018

7 on 7 abril

Então que eu tava meio desanimada com o blog, meio sem saber que rumo seguir e eu esqueci completamente esse post. Já tô raciocinando um pouquinho melhor (não muito) e planejando algumas coisas diferentes. Sim, eu quero continuar a falar sobre séries, músicas, filmes e tudo relacionado a cultura em geral, mas quero também trazer algumas coisinhas mais pessoais (e aleatórias também, porque não?), sinto falta de fazer tags e listas e tudo desse tipo. Então, se esse já era um blog com um pouco de tudo, agora vai ser ainda mais, vcs me desculpa.
Anyway, esse post (que deveria sair no dia sete, vejam bem) é um combo das minhas fotos preferidas do mês. Pra ver todas, é só me seguir no intagram: @suuh_e, eu sou um amor e meu stories tem um monte de comida e doguinhos lindos ok?

 





Esse mês de março só teve mais do mesmo: mais fotos de paisagens, mais comidas, mais desgraçamento da cabeça. O mesmo desanimo com o blog se tornou uma bola de neve e foi englobando todos os aspectos possíveis. Parecia que eu tinha cansado de tudo e de todos. Foi um mês horrível. Será que foi inferno astral?? (não acredito nessas coisas, mas vai que né)
Teve até tentativa de lukinho do dia, sendo uma blogueirinha de merda e falhando miseravelmente. Pelo menos a selfie ficou boa e já virou foto do perfil em todas as redes.

Espero que abril seja melhor, com mais motivação e coisas boas. Menos complicações e desgraçamentos.

Como foi o mês de vocês??


11 de abril de 2018

e quando você desanima?

Faz quase um mês desde o meu último post nesse blog, que foi o 7 on 7 de março (que inclusive saiu com uma semana de atraso) e de lá pra cá, eu fui me desanimando cada vez mais com o blog e a vontade de escrever e postar foi lá em baixo. Não sei exatamente o porquê.
Não sei se foi a procrastinação, a falta de planejamento, o bloqueio criativo ou uma junção de todas essas coisas. Quando eu pensava no blog, ou recebia algum e-mail de comentário eu sentia um esgotamento mental, sabe? Do tipo: "Nossa, eu ainda tenho ISSO pra fazer!"

GENTE?

Pra mim a blogosfera sempre foi um lugar para falar sobre o que eu mais gosto, e sentir que isso tinha virado uma obrigação, parece que esgotou o pouco que criatividade e vontade que eu tinha.

E o que a gente faz quando desanima tanto com uma coisa que a gente costumava amar?

Tirei esse mês pra me desligar dos blogs em geral (desculpa migas mas eu abandonei até os comentários e as leituras, sorry), e vocês sabem o que eu senti nesse tempo? A falta de um propósito.
Sim, eu posto sobre o que eu gosto: música, livros, filmes, séries... Mas ultimamente parece que não é suficiente, sabe? Só postar sobre os meus gostos não me satisfaz mais, parece que falta AQUELE algo, talvez um toque pessoal? umas piadinhas pois sou uma pessoa engraçadíssima só que não

Mas afinal, qual o propósito do blog? Aonde eu quero chegar com ele? Eu tenho vinte e tantos anos na cara e ainda não sei sobre o que eu quero falar? Quero postar mais coisas relevantes para os outros, não só pra mim? Quero fazer esse blog crescer ou tô bem aonde eu estou?

Infelizmente ainda não sei como responder a nenhuma dessas perguntas, e provavelmente esse blog passará por uma fase de incertezas e talvez posts bem aleatórios, até que eu sinta o que realmente me faça feliz. Mudar sempre é bom, e tira a gente da nossa zona de conforto, né? Pfvr passem por esse momento turbulento comigo e não desistam de mim!! HAHAHA ♥

E vocês, blogueiragem? Já passaram por momentos turbulentos? E já encontraram o propósito de vocês?


15 de março de 2018

7 on 7 março

Sim, o 7 on 7 saindo com apenas uma semana de atraso, porque a pessoa aqui é 0% planejamento e 100% procrastinação, né mores. Eu esqueci completamente dessa categoria, mas completamente! Nessas duas semanas de vazio do blog, eu tava num bloqueio criativo danado, e nem me passou pela cabeça esse post que eu sempre faço (menines eu preciso de planejamento urgentíssimo, sim). E só hoje, que eu entrei aqui depois de séculos pra aprovar os comentários, olhei as datas e pensei: PUTA MERDA como que eu fui esquecer?? Infelizmente a cara é de nenê, mas a memória já se foi faz tempo, HAHAHA.
Anyway, as melhores fotos do mês de fevereiro. Cês já me seguem no instagram?? Vem lá que eu sou amorzinho! @suuh_e








Fevereiro (e agora março também) foi um mês em que eu não fiquei assim tão ativa no instagram em matéria de postagens, então não saiu lá tanta foto maravilhosa assim, mas né, a gente trabalha com o que tem, HAHA.
Teve o aniversário de quatro anos da Meg (contei a história dela nesse post aqui), essa bolinha de pelo e de amor, teve muita piscina, teve comidas e reformas. E FINALMENTE TENHO A MINHA ESTANTE LINDA CHEIINHA DE LIVROS ♥♥

Tenho andado muito mais ativa pelos stories mesmo. Apesar de postar bastante sobre o combo comidas - cafés - cachorros, vocês gostariam de ver posts com o que aconteceu no mês pelos meus stories??

Agora me conta, como foi o fevereiro de vocês? :)


1 de março de 2018

filme: voldemort - origins of the heir


Sinopse: Tom Riddle (Stefano Rossi) sai da escola de Hogwarts e vai trabalhar na Borgin e Burkes, passando a coletar Horcruxes. E a misteriosa morte da herdeira de Lufa-Lufa, Hepzibah Smith (Gelsomina Bassetti) em 1943, que foi supostamente envenenada por seu elfo doméstico. (via Adoro Cinema)

Voldemort: Origins of the Heir é um filme de fantasia italiano, feito por fãs, e disponibilizado diretamente no youtube em janeiro desse ano.



O filme conta a história da imersão de Tom Riddle nas artes das trevas até a sua ascensão como Voldemort. Na teoria e no trailer, parece maravilhoso, mas no filme é somente mais do mesmo.
Apesar de realmente nos contar um pouco da história do Tom após sua saída de Hogwarts, se você fã espera algum fato novo, pode esquecer. A grande sacada dos produtores foi pegar pequenos pedaços da história do Voldemort dos livros; histórias que não foram contadas nos filmes da saga Harry Potter.

Por ser um filme não oficial e com pouco investimento, ele é muito bem gravado. Sinceramente? Eu esperava BEM menos. Os cenários e efeitos são muito bem feitos, e apesar da história ser fraca, pra quem é potterhead como eu, sempre é incrível ver qualquer coisa da franquia.


Meu sonho (e de todos nós amantes da saga) é que realmente a sra. JK fizesse algum livro (ou roteiro, porque não?) contando TODA a história do Tio Voldy, mas infelizmente querer não é poder :(

Voldemort: Origins of the Heir é um feito feito por fãs, para quem é fã. O filme tem 52 minutos e está disponível legendado nesse link aqui. E vocês, já assistiram? :)



24 de fevereiro de 2018

a história da meg


Quem me conhece pessoalmente, me segue no Instagram ou acompanha o blog a algum tempinho sempre vê as fotos da minha cachorrinha. Ela se chama Meg, eu tenho ela a quatro anos e hoje eu decidi vir aqui contar a história dessa parte tão importante e tão amor da minha vida. 
Eu conheci ela graças a essa fotinho ai de cima, no perfil da ONG dos Peludos.

A ONG dos Peludos é uma ONG localizada em Farroupilha-RS que ajuda centenas de gatos e cachorros todos os dias (e que precisa de toda a ajuda, quem puder e quiser doar, tem o número da conta no perfil) e por ser bem pertinho da nossa cidade, eu e o boy sempre vamos dar uma volta por lá e aproveitamos pra doar alguns quilos de ração.

Nesse dia em questão, foi a primeira vez que fomos até a ONG, lembro de estar saindo de casa e a minha mãe dizendo: 'vê se não vem com mais um cachorro pra casa' HUEHEUHEUE ADIVINHEM QUEM VOLTOU PRA CASA COM MAIS UM DOG?? E vocês podem adivinhar também que, como eu, minha mãe logo se apaixonou por ela também, by the way.


A ONG ficava no interior a cidade, e foi um parto pra achar o lugar correto. Apesar de ser um lugar que ajuda muito a cidade, parecia que poucas pessoas realmente sabiam sobre. Chegando lá, entregamos as doações e eu quis ver o filhotinho que eu tinha visto na foto do perfil.

E era essa coisa minúscula ai de cima, numa gaiolinha com a irmã e deitada inteira dentro do pote de ração. Nem preciso dizer que foi amor a primeira vista, né? Peguei ela no colo e não larguei mais. 

Ela tava horrível: tinha sarna, perdeu quase todos os pelos do corpo, estava com vermes e fazendo as necessidades com sangue. Ela tinha o imunológico tão fraquinho que até conjuntivite ela pegou. Sinceramente não sei se ela teria sobrevivido caso a gente não tivesse a adotado.


Os primeiros dias foram difíceis, eu tava com muito receio de ela não se dar bem com a minha outra cachorra, a Lyla. Eu estava com tanto medo das duas não se darem bem que quase não adotei ela. O que teria sido o maior erro da minha vida. 

Hoje, com quatro aninhos, ela é a alegria (e o bebezinho, of course) da casa. Enche o lugar de felicidade (e de pelos, mas quem se importa?) e ensina a nós todo o dia o que é o amor e a lealdade verdadeira.


E então, qual é a história do bichinho de vocês?


Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial
Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo